Uma mansão localizada na rua Major Diogo, no bairro da Bela Vista, era propriedade da abastada família Mello Freire, no início dos anos 1920. Após a morte dos familiares, Sebastiana, conhecida como Dona Yayá, começou a apresentar sérios problemas mentais e era atendida por uma funcionária de confiança. Ela viveu reclusa por mais de quarenta anos até morrer, em 1961.

O local, que ficou quase uma década abandonado, tem fama de mal assombrado. Algumas pessoas que passam por ali de madrugada garantem que ouvem os gritos de sofrimento de Dona Yayá. Em 1998, a construção foi tombada pelo governo do Estado. É possível fazer visitas gratuitamente ao local – se você tiver coragem.