A praga da Igreja das Dores não tem como ser confirmada, mas fato é que a construção realmente levou cem anos para ficar pronta. Assim, as pessoas que culparam o escravo Josiano nunca conseguiram fazer suas preces na igreja.

Quem conta a verdadeira história por trás da lenda sobre o Castelinho do Alto da Bronze é a própria personagem, Nilza Linck. Por quatro anos, ela viveu uma história de amor, ciúmes e prisão que nunca foi esquecida. “Eu ficava lá no castelo. Tinha três andares então eu ia lá para cima e ficava olhando a cidade. Eu gostava de ler então me distraía bastante na biblioteca dele, que era muito boa. Mas tenho um sentimento muito forte comigo, de não ter encontrado um amor”, afirma a aposentada.