Reza a lenda que, por volta do ano de 1863, um açougueiro e sua mulher matavam pessoas para fazer linguiça. Sem saber da verdadeira origem dos produtos, os consumidores faziam fila para comprar a iguaria mais recheada e deliciosa que Porto Alegre já teve.

A fama da região é tão grande que até hoje um açougue antigo da rua recebe olhares desconfiados de algumas pessoas. “Trabalho com açougue há 50 anos e muita gente pensa que foi aqui”, brinca o açougueiro Nelson Borowski.