Nos anos 1980, havia muito pânico em cima do tema da AIDS, o que chegou a um nível de histeria que afirmava que supostos criminosos estariam distribuindo agulhas infectadas com o HIV pelas salas de cinema e estabelecimentos públicos nos EUA.

A historia assustou muita gente por, não tendo grandes questões sobrenaturais, parecer verossímil. Muitos deixaram de frequentar cinemas com medo de serem infectados pelas seringas das poltronas, mas nunca foi provado que isso realmente acontecia.